Life is a series of experiments

Minha revisão anual de 2020

Esta revisão anual responderá a três perguntas.

  1. O que ocorreu bem este ano?
  2. O que não ocorreu tão bem este ano?
  3. O que eu aprendi?

Essas perguntas foram baseadas na revisão anual do James Clear. Esse texto é uma visão geral de como foi o meu ano e uma reflexão se estou vivendo conforme meus valores.

1. O que ocorreu bem este ano?

Exercícios. Em 2020, exercitei-me aproximadamente 137 vezes para uma média de 11/12 treinos por mês. No último ano tinha alcançado a minha melhor marca, porém, esse ano consegui ser ainda mais consistente e melhorar meus resultados. Estou finalizando o ano com foco total na minha alimentação, com ajuda de uma nutricionista atingi 80 kg. Tenho boas expectativas para 2021.

Leitura. Apesar de ler menos que o último ano, mesmo assim, fiquei muito satisfeito com os 12 livros (3,631 páginas). Alguns desses livros me marcaram de uma forma muito especial:

Claridade mental. Este ano tentei respiração profunda, meditação e outras técnicas para controle emocional, mas nada foi tão eficaz quanto escrever meus pensamentos e ideias no papel. Ler as anotações antigas é como ver o passado de uma maneira diferente. Entender a forma que eu pensava é surpreendente.

Conhecimento. Tentei otimizar o tempo para estudar inglês, por exemplo, ler um livro em inglês, assistir filmes, aprender algo novo, estudar sobre minha carreira, ouvir músicas ou podcast, tudo na outra linguagem.

Além disso, fiz alguns cursos de programação:

Atualmente, estou estudando sobre fotografia e dedicando um tempo em outro hobby, com este curso:

2. O que não ocorreu tão bem este ano?

Viagem. Em 2020 criei uma grande expectativa em viajar e passar no mínimo 8 meses em um intercâmbio na Irlanda. Definitivamente esse não foi um bom ano para viajar. Por outro lado, estar em outro país em uma pandemia, me tornou mais resiliente e independente.

Minimalismo digital. Minha intenção para 2020 foi diminuir a quantidade de tempo gasto em frente do computador ou celular. Esse tópico está diretamente ligado com o anterior. Para muitas pessoas (inclusive eu), o uso compulsivo do smartphone preenche o vazio criado por uma vida de lazer parcialmente estruturada.

3. O que eu aprendi este ano?

Foque no agora. “Quando você se sentir cansado, faça um minuto de exercícios. Quando o mundo parecer incontrolável, foque no que você pode controlar”. O melhor treino é aquele que você comparece e domina os fundamentos. O melhor plano de estudos é aquele que você fica focado por algum tempo. Esquecemos de fazer o básico. No meio de tanta informação, não percebemos que precisamos de menos do que usamos.

Viaje com o mínimo possível. “Você precisa menos do que você pensa. Isso é verdade para viagens, e é provavelmente verdade para a vida em geral”.

Minimalismo digital. “Reduzir a distração fácil sempre o preencher pode tornar a vida desagrádavel”.

Propósito. “O propósito da vida é viver a vida”.

Priorização. “É o processo de abraçar os limites do seu tempo e energia, libertando-se da expectativa de que você tem que fazer tudo”.

“A vida é uma série de experimentos”

Outras revisões