Tailo Mateus Gonsalves

I’m a software developer, minimalist who is passionate about helping people become more capable and productive with good habits.

I created this website in order to share my experiments in becoming a more effective and explores what it means to live a good life.

O outro lado das redes sociais

Um pouco sobre o outro lado

Um post bem sucedido ou uma foto elogiada nos fornece uma sensação de prazer, consequentemente nosso cérebro gera dopamina. Essa ação de nos prender nas redes não é por acaso. Muitas empresas possuem engenheiros de atenção, que utilizam algumas estratégias de cassinos. Isso para tornar as plataformas mais viciantes possíveis.

Sean Parker (primeiro presidente do Facebook) diz: “Os sites de redes sociais exploram as vulnerabilidades psicológicas humanas através de um ciclo de feedback que leva as pessoas a postar constantemente para obter ainda mais curtidas e comentários”. Sean Parker ainda complementa: “Só Deus sabe o que está fazendo com o cérebro dos nossos filhos”.

Essas mesmas empresas te oferecem uma pequena satisfação. Porém, em troca querem minutos da sua atenção e alguns bytes dos seus dados pessoais. Esses mesmos dados serão empacotados e vendidos.

Como diz Yuval Noah, no livro as 21 lições para o século 21: “Antigamente a terra era o ativo mais importante no mundo. Na era moderna, máquinas e fábricas tornaram-se mais importantes que a terra. Se um número excessivo de fábricas se concentrasse em poucas mãos — a sociedade se dividiria entre capitalistas e proletários. Contudo, no século XXI, os dados vão suplantar tanto a terra quanto a maquinaria como o ativo mais importante, e a política será o esforço por controlar o fluxo de dados. Se os dados se concentrarem em poucas mãos — o gênero humano se dividirá em espécies diferentes.”

Geralmente, para receber a validação social e pequenas doses de dopamina, as pessoas tendem a publicar versões editadas ou até mesmo falsas de si mesmas. E como diz Saron Lanier: “Quando as pessoas são falsas, o mundo se torna falso”. Em um ambiente falso, as pessoas tendem a fazer tudo para serem superiores e estar no centro das atenções, até mesmo escrever coisas desagradáveis. E todos nós sabemos, o ser humano tende a se comportar diferente quando esta sendo observado.

Os algoritmos por trás das redes sociais, entregam conteúdo diferente para pessoas diferentes. Faça o teste você mesmo, entre no Youtube e assista 3 vídeos de gatos brincando. Ao atualizar novamente a página, você vai perceber que as recomendações mudaram. O objetivo disso é para todos ficarem dentro de uma bolha confortável. E suas visões de mundo jamais serão confrontadas.

Temos dificuldades para ser empáticos, e muitas vezes não sabemos nos relacionar com os outros, acabando nos tornando um pouco mais infelizes. Isso porque nosso comportamento está sendo alterado para gerar lucros para essas empresas, e não para termos mais momentos de felicidades.

Antes de finalizar quero deixar uma reflexão para você. “Quantos dos melhores momentos da sua vida, aconteceram na frente de uma tela?”. Se a sua resposta for semelhante a minha, então posso concluir que, o melhor a fazer hoje, é sair e aproveitar a companhia de outras pessoas.

Referências

Facebook's first president, on Facebook: 'God only knows what it's doing to our children's brains

Ten Arguments For Deleting Your Social Media Accounts Right Now

21 Lessons for the 21st Century